quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Racismo continua barrando criança negra na adoção

Brasília - Quase metade das pessoas que estão na fila da adoção – 37,5% – só aceita a adotar se a criança for branca, é o que revela o Cadastro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Segundo a juíza Andréa Pachá, titular da 1ª Vara de Família de Petrópolis (RJ), trata-se de uma forma camuflada de racismo. “É um dado estarrecedor. Ainda é forte a fantasia de que a adoção deve obedecer aos critérios da família biológica. Família é muito mais um núcleo de afeto do que herança biológica. Criança é criança, não tem cor. O discurso que se tem é o de que a criança não pode se sentir diferente. Mas isso é uma forma de racismo”, afirmou.

Segundo os números divulgados nesta segunda-feira (24/01), a cor da pele ainda é fator decisivo: dos 30.378 inscritos, 11. 316 só aceita se a criança for branca. Dos adultos inscritos, 14.259 – ou seja 46,94% - faz questão de escolher a criança pela cor da pele.

 
Além da exigência majoritária de que a criança deve ser branca, há ainda 5,81% (1.764) dos potenciais pais adotivos que só aceitam uma criança de pele parda; 1,91% (579) só aceitam uma criança negra; 1% (304) só aceita uma criança amarela; e 0,97% (296), uma criança indígena.

Com essas exigências as crianças negras continuam sendo esquecidas nos abrigos e orfanatos, sem chance de ganhar um lar adotivo, porque não atendem as exigências dos candidatos a adoção.

No cadastro, a maioria das crianças e adolescentes é parda — 50,57%, ou 4.020 de um total de 7.949. Estão disponíveis 2.411 crianças brancas, ou 30,33% do total. Também aguardam uma família 1.441 (18,13%) crianças negras, 41 (0,52%) amarelas e 36 (0,45%) indígenas.

 
Forma de racismo

Segundo a juíza “criança é criança, não tem cor” e o discurso de que a criança não pode se sentir diferente, não deixa de ser uma forma de racismo”. “Isso era pior antes. Hoje é mais fácil por uma criança de outra raça em uma família substituta. Temos encontrados casais que queriam uma menina loira de olhos azuis e, depois de visitar um abrigo, mudam de ideia. Esse perfil de menina loira de olhos azuis não é o que temos nos abrigos”, acrescenta.

Há uma outra exigência que acaba contribuindo para inviabilizar a adoção de crianças negras: os candidatos a adoção preferem crianças mais novas. Apenas 6,78%, ou 2.058, aceitam crianças com idade entre 6 e 10 anos. Outros 228 (0,76%) aceitam adotar um menor de 11 a 17 anos. No cadastro, há 2.006 crianças, ou 25,2% do total, com idade de 6 a 10 anos. Há também outras 3.855 crianças e adolescentes, ou 48,5%, com idade entre 11 e 17 anos.


 
Como a criança negra tem poucas chances de ser adotada, quanto mais velha vai ficando, menos chances tem de ganhar um novo lar.
 
Fonte: Afro Press 

9 comentários:

Perola San disse...

é supreendente como os brasileiros até na escolha de uma criança para adoção preferem brancas.
Meu Deus mais como?Negro é gente,é humano,merece também ter uma vida um lar ,uma FAMILIA!!!é tão complicado assim?Me doe saber que há muito abrigos lotados de crianças negras ou pardas esquecidas nestes lugares.Crianças negras necessitam ser feliz, todos somos iguais diante de Deus.Pra que esta divisão de cor, como se a branca fosse superior ou mais bela.
Todos somos tesouros!!!~~

Anônimo disse...

Muito interessante esses assunto...devemos sempre debater temas de racismo e discriminação racial para percebermos que vivemos em um país muito racista ainda, apesar de "muitos" (como o discurso do Estado) afirmarem que não somos racista e q isso é coisa do passado...adorei o blog..parabéns

Gabriela Santos...
João Pessoa , PB - UFPB

Aline disse...

Estou entrando na lista de adoção e tenho preferência sim por uma criança negra, muitas vezes sou criticada por isso,mas essa reportagem só me faz ter mais certeza doque eu quero,não tenho preconceito em relação a outras raças, sou de uma familia que tem todos os tipos de raças,mas quero ajudar a diminuir esse número de crianças negras nos orfanatos.

Anônimo disse...

Será que não há candidatos negros que desejam adotar crianças negras? Ou os que estão aguardando para adotar são apenas brancos? Então faz o seguinte: os brancos adotam os brancos, e nós negros vamos adotar nossas crianças negras.

Paulo disse...

Definitivamente ñ concordo com que disse essa tal de Perola Sam aí em cima... parece que essa senhora vive em outra realidade; quem adota criança negra nesse país somos nós, os brancos; o racismo e a insensibilidade vem de onde ñ se espera... dos própios negros! Por que quase cem por cento dos casais que adotam no Brasil são brancos? E ñ é uma questão financeira do negro ser pobre por que criança necessita de uma base familiar e amor e ñ riqueza e luxo! Por isso vamos parar com a hipocrisia e incentivar os casais negros a fazerem tb a sua parte...!

linaldo jeferson pereira disse...

conheço uma familia negra aqui em são luis,aonde o pai era estivador da época em q essa função dava muito dinheiro.as filhas todas estudaram e tem mestrado e doutorado,bem empregadas,construiram um imperio.nem uma das tres tiveram filhos.adivinhem como é a criança adotada q vai herdar esse imperio?branca.falei a uma amiga uma vez q negro(ñ todos,é claro!0,quando melhoram de vida,voltam a ser escravo,eles adoram sustentar brancos.

carlos andre soares dos santos disse...

EU SOU NEGRO MINHA FUTURA ESPOZA VAI SE NEGA E VAMOS ADOTA UMA CRIANÇA NEGRA

Maria Ines disse...

Triste realidade

Michelle disse...

Sou homossexual minha companheira não pode ter filhos ..difícil adotar uma criança hj independente de cor ..tanta burocracia para adotar e as crianças vai ficando nos abrigos eu tenho um filho lindo mas o nosso sonho e adotar um ou dois não sei porq é tão difícil assim

Postar um comentário

 
Copyright © 2009 Ofensiva Negritude All rights reserved. Powered by Blogger
Blogger Template by Anshul